proton@protonsistemas.com.br

+55 75 2101 3744

EnglishPortuguêsEspañol
Top

Soft Skill e Hard Skill: O que são e para que servem?

Soft Skill e Hard Skill: O que são e para que servem?

Por: Daniel Almeida

Olá pessoal! Mais uma vez estamos aqui para aquele bom e velho bate papo. Agora falaremos de Hard Skill e Soft Skill, começando por suas definições:

Hard Skill: São habilidades técnicas, mensuradas e comprovadas por certificados, testes, diplomas, especializações e outros, que atestam saberes e competências.

Soft Skill: São habilidades e competências intrínsecas de cada pessoa, ligadas à personalidade, inteligência e comportamento, sem uma mensuração quantificada.

 

Mas o que isso tem relação com o ambiente corporativo?

Essas habilidades, são diferenciais para quem deseja ascensão e novas oportunidades profissionais.

 

Antigamente esses conceitos não eram trabalhados?

 

Esses conceitos eram apresentados dentro metodologia do CHA, que avalia:

Conhecimento: Conhecimento adquirido na escola, cursos, universidades e outros;

Habilidade: Saber colocar em prática esses conhecimentos adquiridos;

Atitude: Querer fazer, pôr em prática essas habilidades.

 

Essas três habilidades são o tripé da Competência,  que segundo Neize Deluiz, é a capacidade de uma pessoa gerar resultados dentro dos objetivos organizacionais.

Em uma sociedade cada vez mais conectada, as organizações, buscam por colaboradores que possuam um conjunto de Conhecimentos, Habilidades, e Atitudes; que agreguem valor gerando, por sua vez, a melhoria contínua dos seus resultados. Assim sendo, se qualificar e se autoavaliar é essencial para desenvolver suas habilidades pessoais.

 

Como algumas Soft Skill de destaque, temos:

 

Liderança: Habilidade de guiar pessoas, inspirando-as e motivando-as;

Empatia: Colocar-se no lugar do outro, sem antes fazer prejulgamentos;

Resiliência: Adaptar-se a novos contextos;

Autonomia: Saber o que deve ser feito e quando deve ser feito;

Colaboração: Trabalho em equipe, ajudar para o crescimento de todos;

Controle das emoções: O autocontrole para saber converter ambientes estressantes e situações criticas, em geração de valor e experiência;

Pensamento positivo: Olhar não só as adversidades, mas, agregar valor com a experiência, aprendendo, inspirando e motivando;

Pensamento criativo: Buscar com os atuais ou novos recursos, alternativas para melhorar processos;

Boa comunicação: Ser objetivo, ter clareza nas solicitações é hábil no uso das palavras;

Saber ouvir: A ausência dessa competência é um dos principais causadores nos ruídos de comunicação;

Gestão de tempo: Organização para cumprimento de prazos, evitando assim, adiamento e sobrecarga.

 

Em meio a essa e outras habilidades, ainda temos o Essential Skills, que trata-se das competências fundamentais para um novo mundo, mas falaremos desse tema em uma próxima oportunidade.

 

Dica de Leitura:

Inteligência Emocional – A Teoria Revolucionária que Redefine o que é ser Inteligente e Foco, livros do escritor norte-americano Daniel Goleman.

Compartilhar
1Comentário
  • Paulo Rios
    23/11/2021 at 08:59

    Excelente texto. Precisamos sempre estar atentos sobre nossas habilidades, bem como, à necessidade de despertá-las.

    Como sugestão, num próximo texto, discorra sobre as Hard skills.

Postar um comentário