proton@protonsistemas.com.br

+55 75 2101 3744

EnglishPortuguêsEspañol
Top

BC: uso do PIX no Brasil já é maior que o de DOC, TED e boleto…

BC: uso do PIX no Brasil já é maior que o de DOC, TED e boleto…

Por Adolfino Neto

A utilização do PIX – o serviço brasileiro de pagamentos instantâneos, já supera a de outros meios de pagamentos mais antigos, como DOC, TED e boleto bancário. A constatação foi feita em maio pelo Banco Central por meio do documento “PIX: O novo meio de pagamento brasileiro”.

Em operação desde 16 de novembro de 2020, o PIX registrava no fim de março, conforme o BC, 206,6 milhões de chaves – identificadores como e-mail, CPF, CNPJ, celular ou número aleatório, utilizados para o recebimento de recursos. No documento, o BC informou que entre novembro de 2020 e março de 2021 foram feitas 1 bilhão de transações por PIX, em um total de R$ 787,2 bilhões. “Comparando com outros meios de pagamento, nota-se que o uso do PIX vem crescendo a cada mês e já é maior que o uso de TEDs e de DOCs somados. Em março, a quantidade de PIX superou a quantidade de boletos liquidados”, disse o BC.

Um fato interessante é que antes do lançamento do PIX, as pessoas diziam que tinham medo dele e que se usassem, o governo ficaria sabendo como elas gastam o dinheiro que ganham, como se fosse um grande big brother financeiro. O que aconteceu de fato foi um receio de uso no início, mas quando as pessoas experimentaram as vantagens do PIX, elas passaram a usa-lo indiscriminadamente. Agora, gente de todas as classes usam o PIX e já acham estranho quando alguém diz “ainda não tenho PIX”. Do presidente de uma grande empresa até os prestadores de serviços primários, estão usando o PIX cotidianamente até para pagar o engraxate. Imagine que uma diarista residencial trabalhou um sábado inteiro, e no final, o dono da casa onde ela trabalhou, diz: “olha, estou sem dinheiro aqui, vou fazer um DOC para sua conta.” O problema é que ela precisava gastar aquele dinheiro no sábado mesmo, mas devido a ser um DOC, o dinheiro só entraria na segunda-feira. Ela teria então que tomar emprestado com alguém para saldar segunda. Com o PIX, ela recebe imediatamente na conta e já pode usar, e o melhor, sem taxas.

Já deu para percebermos que não vai demorar o dia em que será muito comum as pessoas de qualquer nível social estranharem alguém portando dinheiro na carteira, e vão questionar: “Para que portar algo anti-higiênico, mal cheiroso, e ainda pode ser roubado, se em todo lugar em que você chegar haverá disponível o uso do PIX?” Lembram que há alguns anos estranhávamos ver uma foto de um mendigo nas ruas de Pequim na China, pedindo esmola usando máquina de cartão de crédito ou um QRCODE?. Pois é, hoje o dinheiro eletrônico de fato está sendo usado pelo povo brasileiro que não tem mais o suposto “medo” do big brother financeiro. Faça uma experiência: pergunte a vinte pessoas se elas se incomodariam se o governo extinguisse o PIX. Tenho certeza que quase 100% dirão que isso é um absurdo inaceitável.

 

Evolução

O PIX foi lançado em novembro de 2020 com muitas funcionalidades que facilitam a vida de quem paga e de quem recebe. Mas como dito pelo presidente do BC, o trabalho para tornar o uso do PIX ainda mais amplo e agregar mais conveniência aos usuários não parou. O ano de 2021 já chegou com novidades: no primeiro trimestre foi disponibilizada nova funcionalidade que permite o desenvolvimento pelas instituições participantes de soluções que integrem a lista de contatos, facilitando a visualização de quem tem chave PIX cadastrada. Além disso, as instituições tiveram que disponibilizar pelos próprios aplicativos a gestão de limites de valores.

 

Mais recentemente, em 14 de maio, foi lançado o PIX Cobrança para pagamentos com vencimento, que possibilita o cálculo automático de multa e juros ou descontos para pagamentos antecipados, de forma similar ao boleto. A gestão da cobrança é feita por meio da PIX API, padronizada pelo BC, que possibilita a criação, individual ou em lote, de cobranças via QR Code e a verificação do recebimento para integração em procedimentos de conciliação.

 

Pix Saque e PIX Troco

Está aberta consulta pública que trata do PIX Saque e do PIX Troco. As duas novas funcionalidades estão previstas para serem implementadas no segundo semestre desse ano, e possibilitarão a retirada do dinheiro em espécie com o PIX. Clique aqui para acessar o edital da Consulta Pública 87/2021.

Matéria com adicional de conteúdo feito por Fabrício de Castro – Brasília e do BACEN.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário